Eu faço jejum intermitente!

Por Maria - maio 20, 2021



Eu sempre fui de extremos!! Ora como muito - e quando digo muito é mesmo muito, ao ponto de ver admiração na cara das pessoas e ouvir a expressão "onde pões isso tudo? Ainda tens espaço?", ora consigo estar longos períodos sem comer.

Admito que esta facilidade de jejum já vem desde a minha idade de jovem adulta, pois quer na universidade, quer posteriormente no trabalho quando estava concentrada e dedicada a algo esquecia-me de comer.

Tive conhecimento deste estilo de vida num jantar de Natal na casa da Snow, quando ficámos todas de boca aberta a ver o seu filho mais velho e o quanto ele tinha emagrecido. Foi aí que fiquei convencida pelo fantástico resultado visível e com vontade de experimentar mesmo antes de saber no que consistia... A Snow deu-nos uma mini aula de jejum intermitente e de como ele se sentia bem e com vitalidade...

A ideia foi amadurecendo e foi no Verão seguinte que me lancei neste desafio. Confesso que não pesquisei muito e atirei-me logo ao plano mais extremo, o diário de 20-4, ou seja todos os dias 20h sem comer e 4 horas de janela de alimentação. Portanto, basicamente só fazia, ou melhor, faço uma refeição por dia que é o jantar. No entanto não sou totalmente fiel ou rígida a este plano, pois por vezes sou capaz de saciar-me com uma peça de fruta, ou umas bolachas ou até mesmo um docinho ao início da tarde. Acho que o importante é saber ouvir e compreender o nosso corpo.

Mas adiante.. vou tentar dar algumas dicas sobre esta nova tendência alimentar que está cada vez a ganhar mais seguidores.

O que é?

Basicamente é um padrão alimentar que não se refere tanto ao que comemos, mas quando comemos. Existem diversos planos, cada um com aspectos positivos e negativos. Existem os diários em que se cingem em 4 horários 14-10 16-8 18-6 20-4; os de dias inteiros de jejum , mas intercalados; e aqueles que podem chegar às 48 horas sem comer.

Mas ATENÇÃO!!!
Não pensem que é só escolher e avançar, existem contra-indicações, por exemplo quem tem problemas de saúde, nomeadamente diabetes ou doenças cardiovasculares; quem tiver com um peso baixo, quem estiver grávida ou a amamentar, na adolescência também não é aconselhado... e convém compensar com refeições nutritivas e equilibradas.

Faz bem ou faz mal estar tanto tempo sem comer?

Afinal a regra de não estar mais de 2 a 3 horas sem comer está ou não correta?

Quando estamos muito tempo sem comer (controlado, é claro!) o nosso corpo inicia a autofagia (nome técnico complicado!), mas basicamente é um processo de desintoxicação e regeneração, o que revela, também benefícios contra inflamações, prevenção de algumas doenças e adivinhem só, benefícios contra o envelhecimento... ADORO!!!

Isto quer dizer que gastamos menos dinheiro, menos tempo a preparar refeições, ficamos mais elegantes, mantemos a juventude e a vitalidade!!! Muito bom, não é? Estou a brincar... não tentem só por tentar e principalmente sem se informarem convenientemente e/ou consultarem um nutricionista ou até mesmo um médico... Faz o que eu digo, não faças o que eu faço! ;)
Ah!! Um pequeno pormenor mas de grande importância: BEBER MUITA ÁGUA! A hidratação é fundamental! Eu actualmente estou a beber cerca de 3 litros de água/chá, mas penso que 1,5 a 2 litros já é muito bom...

Devo de dizer que não faço jejum intermitente o ano todo, pois no Inverno volto a comer várias vezes ao dia.. Mas sempre que recomeço sinto-me bastante bem, e não passo fome! Os primeiros 3/4 dias são os mais difíceis, mas entre algumas dores de cabeça e rabugices lá me vou aguentando e a verdade é que o nosso corpo habitua-se. De vez em quando dá-me a gula e vou comer, não forço o jejum.


No fim de contas é aprender a ouvir e respeitar o vosso corpo...sabendo identificar as suas carências e pontos fortes... é definir objectivos, metas e regras para um bem maior, o nosso! E ser feliz...


Be Happy
Maria

  • Partilha:

Poderás também gostar

7 comentários

  1. Continua dedicada amiga, tu consegues e se te apetecer comer meia dúzia de carapaus não hesites 😝😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahh!ah! Como me conheces bem!!! Devo de confessar que tenho bastantes saudades...

      Eliminar
  2. Experimentei o jejum intermitente durante 30 dias ( o que é que ainda não experimentei?kkkk). Gostei da "teoria" do não é o que comes ,mas quando comes. Não obtive grandes resultados,mas vou continuar porque, pelo menos, não aumentei.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Márcia, acho que o principal é estarmos bem.. e independentemente de não termos logo o resultado de que estávamos à espera... No percurso também aprendemos e ganhamos... Um beijinho

      Eliminar
  3. Comigo resultou com um bom pequeno almoço, bom almoço só com grelhados e lanche até às 4 da tarde. Depois só sopa.

    ResponderEliminar
  4. É isso mesmo! É adaptar às nossas necessidades e rotinas.. e quando funciona para nós.. é só manter 😉

    ResponderEliminar
  5. É isso mesmo! É adaptar às nossas necessidades e rotinas.. e quando funciona para nós.. é só manter 😉

    ResponderEliminar