Longe da vista, pertinho do coração

Por Snow - janeiro 28, 2020

longe da vista pertinho do coração - tropa do batom

Ser mãe aos 17 anos, foi com toda a certeza o melhor não planeamento da minha vida.

Na altura foi uma certeza difícil de integrar em plena adolescência e com tantas incertezas próprias da idade. Porém, ali estava eu, com um pequeno ser a crescer na minha barriga, com todo um futuro pela frente.

As decisões que tomei, com o consentimento dos meus pais foi o de não casar "queria eu lá saber o que diziam os outros" e de continuar a estudar, pois estava a terminar o 11°ano a transitar para o 12° ano com intenções de ir para a faculdade.

Esse verão foi diferente, tive de dividir a praia com as idas ao médico e os exames necessários para uma gravidez vigiada.

O 12°ano iniciou e para mim iniciaram as contrações e o nascimento do meu filho... O meu filho... "Já sou mãe", disse quando ele nasceu.

E enquanto as minhas colegas aprendiam o "past perfect", as probabilidades, o desenvolvimento económico, eu aprendia a ser mãe, aprendia a mudar fraldas, a amamentar, o ritual do arroto, as massagens das cólicas, o dar colo a uma imensa responsabilidade num colo de uma mãe adolescente.

Não nego que não sentisse vergonha pelo facto de ter engravidado tão nova, porém o orgulho de ter um filho era maior do que toda a vergonha que pudesse sentir e foi esse orgulho que me levou a ter a cabeça erguida sempre que ouvia um comentário menos bonito sobre ser uma mãe adolescente. Mais uma vez pensava "quero lá saber o que dizem de mim, este amor é maior que todo o desagrado e é este orgulho que me faz olhar para a frente".

Concluí o 12° ano, fiz os exames nacionais e entrei na faculdade do estado, graças ao orgulho que tinha em ser mãe adolescente. É claro que muito tenho a agradecer aos meus pais, pelo seu apoio incansável, à minha família, sempre pronta a ajudar e às minhas amigas, pela sua amizade genuína e compreensiva.

Com o nascimento do meu filho senti o significado da expressão "amor incondicional" e senti também o verdadeiro significado do que é ter medo. São dois sentimentos que nos apertam o coração, num misto de emoções.
Sempre escolhi ser uma mãe presente, estar lá quando ele chamasse mãe, quando pedisse colo, quando quisesse adormecer.

Não tive uma juventude como as minhas amigas, assumi outro tipo de responsabilidade, tive a oportunidade de ver e ajudar a crescer um menino, rapaz e já homem.

Tenho muito orgulho neste filho, nesta pessoa íntegra, humana, respeitadora, carinhosa, sensível... EXTRAORDINÁRIA.

E hoje, quando me disse que ia sair de casa, pela experiência de morar sozinho...o meu coração ficou do tamanho de uma nano partícula... O meu filho, o meu orgulho, o meu mundo vai deixar o ninho, vai voar sozinho... 

Criei este filho para ser uma pessoa independente e autónoma e durante esse caminho andei inchada de tanto orgulho por o ver crescer assim, tão senhor de si, porém agora que ele decide pegar nessa independência e autonomia só me apetece gritar "não vás, fica, volta a ser bebé, vamos começar tudo de novo..."

Vai filho, sê feliz.

Para mim o ditado popular passará a ser :
Longe da vista, pertinho no coração.

  • Partilha:

Poderás também gostar

8 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh amiga!!! Nem quero pensar quando for com as minhas meninas... Mas por outro lado relembro a minha euforia de quando foi comigo... Da sensação de autonomia e de poder e liberdade que tive!!! Vai tudo correr bem ��

      Eliminar
    2. É aí que eu me agarro, vendo o lado dele, porém o coração de mãe grita lá ao fundo para ele ficar... É uma dor que sabemos que faz parte, mas dói... Obrigada pelo apoio minha querida amiga ❤️

      Eliminar
  2. Que texto maravilhoso. A sorte que tenho em ter visto esse miúdo a crescer. O orgulho que tenho em poder confirmar a dedicação e o estímulo para que fosse um homem sem medo. E aí está a prova de que fizeste um excelente trabalho, quer ser independente. E tem todas as armas para correr tudo lindamente. Convido-me já para um almoço de tias emprestadas!!! Abraço-vos com amor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As tias também ajudaram ao crescimento e também estão de parabéns pelo percurso 😊 venha o convívio 😝😘♥️

      Eliminar
  3. Oooh aposto que foi uma mãe maravilhosa. Ou melhor, que é. Amei este seu texto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada 😊 faço o melhor que sei e o que o coração dita... Custa muito quando o pintainho sai debaixo da asa...

      Eliminar