Descobri que tenho vizinhos

Por Maria - dezembro 08, 2020

Bem sei que todos andam já saturados desta pandemia e desta novela do vírus... E dos transtornos daí advindos, mas... temos que reconhecer que também nos trouxe alguns, não digo privilégios, mas algumas condições menos negativas, como por exemplo o teletrabalho. Digam-me: quem está em teletrabalho não prefere estar em casa no conforto do seu lar? Hum!! Vá, sinceramente... preferiam apanhar chuva e frio? ou pior trânsito ou transportes públicos??? Não me parece!

Mas gostos à parte! Deixem-me contar-vos o que descobri no meu teletrabalho...

Desde que a permanência em casa tem sido corriqueira descobri uma coisa curiosa. Que afinal tenho vizinhos... Pois, aquelas pessoas que vivem ao nosso lado, por cima, por baixo... sabem?!!! Vocês também têm? E conhecem? Para mim, (antes do teletrabalho) usando a expressão das bruxas "não acredito nelas, mas lá que as há, há", tinha outra para os vizinhos: "Não vejo os meus vizinhos, mas lá que os há, há!". E se há...

Mas agora sei que há!! Eles existem!!!

A sério, há com cada peça, vai lá vai... Vou tentar transmitir-vos por palavras o meu expositor de vizinhos:

Vizinho nº1 - Os Cuscos

Équela senhora que tu por acaso já conheces, pois até a via com alguma frequência. Dizia sempre bom dia, perguntava pelo marido e pelas meninas. É a senhora que limpa as escadas e que sabe tudo da vida alheia, e por vezes até sabe mais da tua própria vida do que tu... No outro dia ia a subir as escadas e deu-me os parabéns agradeci-lhe e perguntei-lhe como sabia e ela respondeu logo que soube logo assim que viu o meu marido a subir com um ramo de flores... -lá se foi a surpresa!

Vizinho nº 2 - Os prestáveis

Da outra vez fui surpreendida pelos meus vizinhos com um saco de laranjas e de espinafres. Não estava mesmo à espera e nem sei porque se lembraram de mim, até fiquei encavacada. Mas agradeci e disse que adorava laranjas e espinafres e quando me perguntou se aceitava não recusei e disse que dá sempre jeito... Confesso que as laranjas eram deliciosas e que a sopa que fiz com os espinafres ficou divinal, mas desde então tem sido uma chuva de espinafres, que já deito verde pelos olhos. A verdade é que não consigo recusar, a frase dá sempre jeito tende a sair instantâneamente da minha boca. Resta só rezar que haja uma praga na horta.

Vizinho nº 3 - Os Stalkers

Considero-me uma pessoa bastante sociável, tal como o meu companheiro, mas somos ambos também zelosos pelo nosso espaço e privacidade familiar. Mas recordo-me de uns vizinhos que se tinham mudado há pouco tempo, era uma famíla numerosa e castiça. Como explicar: sabem aquelas famílias que vemos nos filmes super barulhentas que estão sempre bem dispostos e que tudo à volta é uma festa e que estão sempre bem... era mais ou menos isso... E estavam quase sempre a bater-nos à porta a perguntar coisas, quais os supermercados que nós utilizavamos nas proximidades, qual o serviço de telecomunicações que usavamos, que tipo de gás, onde tinhamos comprado aquele candeeiro que era tão giro e eles queriam um igual... Estão a ver?? Um dia o meu homem abriu a porta vestido para jogar à bola e ele tentou colar-se à cara podre para ir jogar com ele... felizmente, eles tinham arrendado a casa e rapidamente se mudaram...

Vizinho nº 4 - Os intrometidos

Este grupo poderia ser incluído no 1º grupo, o dos cuscos, pois para se intrometerem têm de cuscar primeiro. Mas basicamente são aqueles que vêm sempre opinar sobre tudo. E o que eles fazem e têm é sempre melhor. Actualmente e felizmente não tenho experiências recentes deste, mas lembro-me na minha infânia de uma vizinha que azucrinava a cabeça à minha mãe por tudo o que ela fazia.. Ou era porque o café era melhor se fosse moído na hora, ou porque não era bom as janelas ficarem abertas, até opinava sobre a forma como a minha mãe me repreendia ou autorizava algo que para ela era inconcebível.. Enfim... Acho que toda a gente deve de ter tido alguma vizinha assim...

Vizinho nº5 - O Solteirão / Solteirona que dá nas vistas

Quando eu digo que dá nas vistas, basicamente é porque não passa mesmo NADA despercebido/a. Como aquele vizinho que vai para o ginásio, que vai de mota, que emana espírito selvagem por onde passa; aquela rapariga, que também tem tempo para ir ao ginásio, boa como o milho de mamas empinadas e que deixa no ar um perfume de liberdade, ou ausência de responsabilidades (das nossas)... Ou então aquele gingão que não tem ponta que se lhe pegue e pensa que é o maior... No meu caso a minha vizinha é a boazona.

Vizinhos nº 6 - Os que se acham importantes

São aqueles que têm estampado na cara aquele ar e postura de superioridade e que é raro ouvirmos alguma palvra das suas bocas, nem sequer o bom dia. E que em cada vez que descem as escadas nós estamos sempre a torcer para eles tropeçarem...

Vizinhos nº 7 - Os ausentes

Aqueles que nunca vês... nem sabes se é só mulher, se só homem, se família... Na minha antiga casa tive a minha vizinha da frente que nunca a via em cerca de 8 anos... Nas reuniões de condomínio diziam que tinha um filho adolescente estudante e um trabalho normal para o estado... Mas nunca vi um estore de uma janela aberto nem um mínimo de barulho.. posteriormente tivemos que reportar o caso às autoridades devido ao cheiro que a casa emanava. Descobrimos que era acumuladora... mas com uma vida supostamente normalizada.

Vizinho nº 8 -os amigos

Há quem encontre num vizinho um verdadeiro amigo. Descobrem que para além da morada têm outras coisas em comum e tornam-se verdadeiros amigos.

Vizinho nº 9 - os normais

E o que é isso de ser um vizinho normal? Como caracterizas um vizinho normal?



Diz-me que tipo de vizinhos tens? Sabes? Conheces?

E um desafio melhor: Que tipo de vizinho és? Já pensaste nisso?



Be Happy
Maria

  • Partilha:

Poderás também gostar

6 comentários

  1. Pois, em relação aos vizinhos é como os parentes: não se escolhem. Eu só privo com quem gosto (vale para vizinhos e parentes) e tenho a dizer que os meus nem são nada maus... excepto dois. Mas, aí está, faço como com os parentes: ignoro-os. :D


    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar
  2. Olá, Maria!

    Gostei muito da história da vizinha cusca!
    Eu tenho garantidamente os nrs. 2, 5, 6 e 8.
    O que os outros acham de mim não sei. Para alguns dos meus vizinhos sou o 2 e o 8.

    Bom fim de semana!
    Beijinhos
    Liliana
    Ideias Recicladas e... não só!

    ResponderEliminar
  3. Querida Maria, fizeste-me rir com este post! Eu tenho 4 vizinhos, uns normais, dizem olá, bom dia boa tarde, são simpáticos, mas não passa disso. Um vizinho tipo pai, senhor nos seus 60’s muito simpático, que faz aquelas perguntas de pai, vive sozinho, não é intruso e gosto de saber que está em casa, quando não está fico a pensar , onde estará o Robin? Porque ele normalmente diz onde vai quando desaparece por uns dias. Tenho o vizinho porreiraço com mulher invisível, só o vemos a ele. Os outros são vizinhos 100% invisíveis, só vejo os carros no estacionamento :)

    ResponderEliminar
  4. Ahahah, o teu post está muito engraçado Maria :) . Mas esqueceste-te dos vizinhos barulhentos, que é precisamente o que eu acho que sou!! Os que cantam bem alto, ouvem música alta, fazem exercício em casa com música alta (e ouve-se os pés a bater no chão) e dão festas em casa (este ano naturalmente que esta parte das festas está diferente, mas o resto não). beijinhos Maria :**

    ResponderEliminar
  5. Olá, Tropa!

    Regressei para desejar um Feliz Natal e um Novo Ano repleto de Saúde, Harmonia, Paz e muitas (h)istórias!

    Beijinhos
    Liliana
    Ideias Recicladas e... não só!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Liliana!!! Um beijinho muito grande com desejos de um super ano 2021

      Eliminar