Memórias da minha Mãe

Por Maria - abril 26, 2020

memórias mãe - tropa do batom

Com 3 letrinhas apenas
Se escreve a palavra Mãe
É a palavra mais bonita
Que o mundo tem

A palavra Mãe é uma palavra universal… escreve-se e diz-se de muitas maneiras, consoante o país e língua, mas o seu significado, o seu sentido é, maioritariamente, só um: Amor. No entanto não é um amor qualquer! O amor de mãe é um amor que ultrapassa tudo, ou pelo menos é isso que elas tentam transmitir…

Lembro-me da minha Mãe com saudade! Mas, principalmente lembro-me da minha mãe como uma pessoa forte e destemida. Lembro-me  de ver a minha Mãe como uma pessoa imortal. Como me enganei…  e em tudo…

Hoje consigo ver mais além… hoje sei que debaixo daquele sorriso de bom dia estava uma tristeza e preocupação profundas; hoje sei que aqueles olhos meigos escondiam lágrimas de dor, de tristeza e de saudade. Hoje sei da angústia dela ao me criar sozinha e da sua insegurança de me proteger e de me acompanhar no futuro. Como ela tinha razão!

E hoje sei isso tudo, porque hoje também sou mãe! Hoje eu também escondo, também finjo, também minto… e sei que são tantas as capas que nós mães usamos para não ferir a visão ainda imaculada dos nossos filhos. A armadura só cai quando estamos sozinhas, longe dos olhares indiscretos das nossas crias, ainda inocentes ao mundo real. Também uso essa armadura, a mesma que ela usou, mas eu sei e receio… hoje reconheço e sinto o medo e de alguma forma a impotência de não conseguir proteger as minhas filhas em tudo, tal como ela sentiu.

Eu hoje recordo a minha mãe na relação que tenho com as minhas filhas. E recordo-me dela em tudo, num simples toque com as minhas filhas, num cheiro, num cafuné, num suspiro, num sorriso, até num raspanete. Recordo-a e lamento não ter tido a oportunidade de lhe agradecer e de me despedir . Hoje é o dia que marco a sua despedida e hoje gostaria de lhe dizer:

                        _________________________________________________________________________________

Mãe, minha querida Mãe,

Recordo a tua paciência quando, apesar de estar esgotada ganho forças face ao pedido das minhas filhas para ir brincar. Recordo a tua preocupação quando largo os meus afazeres e mudo rotinas diárias para tratar delas quando estão doentes. Recordo o teu aconchego ao levantar-me a meio da noite quando elas gritam e pedem para ficar ao seu lado… sinto agora a tua aflição quando não consigo fazer parar as suas dores… Agora sei, enquanto mãe, sei o quanto custa dizer não e o que daí advém, as birras, o choro, a chantagem … e no entanto temos de continuar a ser firmes e seguras, mesmos ao sentirmo-nos as piores mães do mundo…

Lamento tanto a tua dor, mesmo sabendo que é a dor implícita ao amor de Mãe… Lamento a tua dor e lamento não te dizer estas palavras pessoalmente ao compasso de um abraço meu. Lamento e sofro. As lágrimas teimam a sair dos meus olhos quando penso na tua dor…. O meu coração mingua e sufoca ao saber que partiste sem eu te ter dito o quanto te amava…  mas tenho-te em mim…

Recordo-te constantemente… em todas as acções que tenho com as minhas filhas, é nelas que recordo a tua dedicação, entrega e sacrifícios... é com elas que recordo o teu amor… O Amor de Mãe puro, tal como ele é… e por isso estás sempre comigo…

Sim, estás sempre comigo… foste tu que me ensinaste a ser forte, foste tu que me deste autonomia, foste tu que me mostraste como se cuida, como se vive, como se ama… a nós e aos nossos… por isso estás e estarás sempre comigo, porque tu fazes parte de mim! 

Oh Mãe, queria-te dizer que foste a melhor Mãe do mundo e que conseguiste! Apesar do pouco tempo que tivemos juntas conseguiste transmitir o que se deve de transmitir a uma filha. Sou uma pessoa autónoma, que também comete erros mas que se perdoa e se valoriza, que se respeita a si e aos outros, que também cai, mas que se levanta e luta, como sempre te viu lutar... 

Obrigada Mãe…
Obrigada por  me dares vida e me ensinares a viver

                                                            Da tua filha quase perfeita que te acha perfeita
                                                                                             Amo-te

                        _________________________________________________________________________________

Sim, perdi a minha Mãe muito cedo, mas sou rica em memórias e em ensinamentos. Ela foi a Mãe perfeita e no meu ser ainda o é…

Agora sei que não é fácil ser mãe! E a expressão de viver com o coração nas mãos define na perfeição o que sentem as mães, as angústias e preocupações que nunca cessam enquanto somos mães. Agora sei, mas já não lhe posso dizer… 

E tu? Podes?
Então diz!!

Agradece-lhe e diz o quanto a amas…

Be Happy
Maria

  • Partilha:

Poderás também gostar

0 comentários