Será que se perdeu a magia do Natal?

Por Maria - dezembro 24, 2019


magia natal - tropa do batom
Dizem que é a época mais esperada do ano...  Dizem que é a época de solidariedade,  de paz,  união,  família... Dizem que é a época onde as tréguas ganham força e as batalhas descansam..   É a época do ano em que olhamos para os outros,  estamos mais sensíveis e os braços maiores para abraçamos..  Mas será assim?

Confesso  que sou adepta do Natal...  Das cores,  das luzes,  das músicas,  dos cheiros...  Relembro da minha infância a ansiedade e a expectativa deste dia...  Muito pelas prendas,  é verdade,  mas,  também por todo o conjunto maravilhoso característico do Natal...  Recordo vivamente os serões de cinema (o famoso sozinho em casa,  Mary Poppins,  Anne...) acompanhados do cheiro das filhoses,  de ir roubar a massa e ouvir as mulheres da cozinha a refilarem: "sacana da miúda..." Às vezes tinha a companhia do meu primo e aí era a galhofa total...    Fazíamos turnos onde um fazia a vigia e o outro ia descobrir onde estavam as prendas-sim porque tinham de as esconder para nós não as abrirmos antes do tempo.

E ver a mesa..   Com a toalha característica,  cheia de tentações às quais nesse dia tínhamos autorização para ceder... As gargalhadas dos adultos,  os berros dos adultos a refilar com o nosso barulho..  As perguntas constantes de: quanto tempo falta?  Já é meia noite?  O teimoso e vagaroso relógio... E,  finalmente a euforia total...  As prendas...

Nessa noite adormecia desejosa de acordar para brincar com as prendas e voltar a ter os cheiros,  os barulhos,  a toalha de Natal e a mesa cheia de confusão mas de vida...

Memórias únicas e por mais que o tempo passe não se desvanecem da minha memória.

Tento agora recriar toda este enquadramento natalício com a minha família..  Pois,  porque para mim sim,  esta é uma das épocas do ano mais desejadas.  E adoro,  repito ADORO o Natal e toda a sua magia.

Adoro escolher as prendas,  adoro oferece-las... Gosto do stress (saudável) de preparar a comida,  a mesa,  toda a decoração,  da árvore cheia de prendas..  De fazer agora eu as filhoses com a minha filha,  de cozinhar com o meu companheiro ao som das músicas de Natal e com os respectivos barretes de Pai Natal... Adoro as nossas gargalhadas à mesa e os nossos gritos para as crianças se acalmaram...  Responder às constantes perguntas de quanto tempo falta para a meia noite..  E de finalmente oferecer as prendas tão desejadas e ver os seus sorrisos...

Admito que hoje a percepção do Natal possa ter mudado um pouco (ou não tão pouco)  e que a visão que eu tinha do Natal enquanto criança não é a mesma que a minha filha tem, mas acredito que todas as experiências natalícias que possa proporcionar às minhas filhas também irão ficar gravadas nas suas memórias e corações e serem relembramos tal como eu me recordo das minhas com a minha família.

Muito se ouve dizer que o espírito do Natal se perdeu  e que agora existe muito consumismo...  Não digo que não!  Eu sou consumista e adoro comprar e dar prendas,  mas isso não invalida que não sinta o espírito do Natal...  Sinto com toda a intensidade,  com as minhas filhas,  com o meu marido,  com a minha família de sangue,  com a minha outra família,  com colegas,  amigos,  conhecidos e desconhecidos...  Porque o Natal está no coração e tudo o que ele representa eu tento fazê-lo todo o ano,  mas  nesta altura posso manifestar de outras formas...

Por isso,  acho que a magia do Natal não se perdeu...  Apenas a vivemos de outra forma... Apenas temos que manter vivas as coisas mais importantes.. E  criar memórias de amor,  solidariedade e união...

FELIZ NATAL

Be Happy
Maria

  • Partilha:

Poderás também gostar

4 comentários

  1. Eu acho que não se perdeu nada. As pessoas é que se perderam. Eu tento ser boa alma todo o ano, mas neste mês de Dezembro estou ainda mais dada, mais afável e solidária. As pessoas têm é de procurar o Natal dentro de si!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso exactamente da mesma forma... Os valores são intrínsecos e tento manifestá-los todo o ano mas nesta época estão mais à flor da pele. É incrível! Tão depressa choro a ver a minha filha a cantar na festa de Natal como num simples anúncio de TV.. 😆

      Eliminar
  2. Chegou a Grinch! :) Pois é, tenho uma opinião completamente diferente e acho que Natal é altura de hipocrisia, consumismo e pouco mais. E nem me venham dizer que é a celebração do nascimento do menino Jesus que isso é super fake, pois se pesquisarem na net vêem que ninguém sabe a data ao certo e que a utilização desta data tem apenas a ver com um festejo pagão.
    Irrita-me particularmente o mood de "É Natal, está tudo bem....". Desculpem lá, mas se conheço alguém que só faz porcaria o ano inteiro, não é por ser Natal que a minha opinião vai mudar, e também não vou esquecer só porque é Natal.
    Que se ensine solidariedade e paz às crianças? Nada contra. Mas porque não incentivar a fazer voluntariado e acções similares? Isso sim é importante (e contra mim falo que não tenho ido). E é o ano todo (não é só no Natal).
    Mas já estás careca de saber a minha opinião, não é Maria? beijinhos :**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também concordo que no Natal as aparências tendem a aparecer... 😉 mas falando da minha experiência e crença, digamos não é sempre assim... Os valores que defendo nesta época são os valores que defendo todo o ano, e se tiver que perdoar em maio perdoo em maio.. Apenas nesta altura tenho a justificação para oferecer prendas 😁que adoro... Sim sou consumista! Mas dou a mão à palmatória.. Também aparecem muitos lobos disfarçados de cordeiros... E que fazem questão de ter a prenda melhor.. Mas espero e acredito que não sou a única a acreditar e a viver o Natal...

      Eliminar